terça-feira, 6 de março de 2018

Papa de Milho e Trigo com Pera e Alperce Seco

No seguimento do post anterior hoje partilho uma receita de papa caseira. Esta foi a primeira decisão, dentro desta temática, que tomei ainda estava grávida. Li bastante, tive até medo de dar papas sem ser de compra acreditam? Mas tive. Depois refleti e cheguei à conclusão que esta era a escolha que me fazia mais sentido. 

Eu tinha medo que as papas caseiras não fossem tão completas, mas acredito que muitas das de compra são enriquecidas com alguns elementos porque os cerais que usam estão tão processados que ficam mais pobres portanto compensam no fim. As caseiras são mais simples, com uma lista de ingredientes bem mais curta em que sabemos bem o que estamos a usar. 

Outro dos receios que tive era se iria ter "paciência" para fazer papas caseiras sempre. Cheguei mesmo a comprar 2 papas de pacote para alguma emergência ( comprei as da Holle que se vendem no celeiro) mas acabei por não usar. Li e tenho consciência que o ideal é usar o cereal em grão, é a forma menos processada e portante a mais rica nutricionalmente. No entanto, isto implica demolhar o grão e alguns demoram muito tempo a cozer. Eu conheço-me, sei que não iria funcionar para mim esta opção sempre. Então, mesmo tendo a perfeita noção de que não é tão bom, uso também os flocos e as farinhas. 

Outra coisa em que pensei foi na durabilidade das papas caseiras, ou seja, fazendo as papas com leite elas iriam ter de ser consumidas ( pelo menos eu não as daria com mais do que um dia) no próprio dia. Decidi por isso fazer as papas com uma base de água e no final acerto a textura com leite, assim consigo fazer papas para 3 dias, usando a água, e na altura dela as consumir aqueço um pouco e acrescento o leite.

Não foi um caminho nada fácil, não pelo trabalho em si, mas porque ela não gostou nada de papas! As primeiras foram as de millho e arroz aos 4 meses. Nessa altura ainda não comia fruta pelo que não podia usar mais nada nas papas que não fosse o milho ou o arroz e ela detestou! Esperei pela fruta mas ela não gostava mesmo! 

Fui esperando e tentando aos poucos. Até que lhe introduzi a aveia com maçã e com pêra e ela começou a comer mas rapidamente se fartou e para ser sincera voltei portanto ao ponto de partida ( já com a minha mãe a dizer para eu desistir destas papas...). Voltei a esperar mais um pouco e introduzi o millet e foi quando se deu o milagre, ela começou a comer papas. Quando foi possível introduzir a fruta tropical voltou à aveia. Nesta altura já introduzi o glúten nas papas com uma mistura de 5 cereais em flocos e correu bem. A versão de hoje é mais uma experiência para as primeiras papinhas com glúten, que foi aprovada pela provadora oficial!

Acho que aos poucos vamos tendo cada vez  mais informação  e por isso é importante que cada um pense e faça as suas escolhas. Eu estou tranquila com a minha, não foi fácil, mas fui dando tempo ao tempo com calma e paciência cheguei a bom porto.

A receita que vos deixo é adaptada do livro Bimby Baby Box e é para uma dose, mas como vos digo eu faço o triplo e dá para 3 dias ( guardo no frigorífico), usando água na base em vez de leite e como a faço mais consistente na altura de servir acerto com leite, normalmente acrescento 30 a 60 mL de leite de fórmula.




Ingredientes para 1 dose ( a partir dos 8 meses ou do momento em que introduzam o glúten):

100 g de pera
20 de alperce seco ( biológico sem conservantes)
100 g de água ( ou 150 g de leite em pó para lactantes preparado)
15 g de farinha de trigo
15 g de farinha de milho

Preparação:

Juntar a pera e o alperce no copo e triturar 10 seg / vel7. Baixar com a espátula o que ficar agarrado às paredes.

Juntar as farinhas e a água e programar 10 min/ 90 ºC/vel 2.5.

Trirurar 20 seg/vel5.



Notas: Deixei arrefecer nos copinhos que uso para as comidas dela, com película aderente na superfície. Depois guardo no frigorífico e na altura de servir aqueço uns segundos no microondas e acrescento o leite. Se fizerem com leite de começo, não é preciso acrescentar mais leite no final. Nesse caso é melhor fazer apenas uma dose, embora nunca tenha testado esse método.




16 comentários:

  1. Tal como disse no post anterior eu gostava de ter tido outros conhecimentos quando tive os meus filhos. Baseei-me nas papinhas que a minha mãe me dava, papas de farinha de trigo e papas de aveia. Hoje vejo que havia muito mais possibilidades e opções. Mas sinceramente acho que a culpa não é só nossa. É também dos profissionais de saúde que, muitas vezes, são tão ou mais "ignorantes" do que nós. Eu pelo menos quando ia às consultas do materno nunca ouvi sugerir-me para ser eu a fazer as papas e bolachas do bebé. Aliás, eles próprios recomendam as opções que existem no mercado. Seria bom que esses profissionais estivessem mais consciencializados para também nos poder consciencializar! Quiçá até terem receitas para facultar aos pais! Os únicos panfletos que me davam era com os alimentos permitidos e proibidos para cada mês. Já era uma ajuda, mas não era suficiente! Mas felizmente está tudo a mudar e sei que com esta nova era em que a alimentação saudável é muito badalada, os bebés vão começar a ter uma alimentação muito melhor! Pelo menos quero acreditar que sim! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais! A pediatra da minha filha também não me sabe ajudar muito. Recomenda apenas o que há no mercado e quando lhe falei da dificuldade em conseguir que a minha filha aceitasse as papas ainda me perguntou porque não tentava as de pacote! Depois quando lá voltei quando ela já comia papas disse-me que devia dar muito trabalho e foi quando lhe expliquei como fazia. Ainda há muito caminho para percorrer mas também é verdade que há cada vez mais informação para que cada um possa fazer as suas escolhas.

      Eliminar
  2. Muito bom teres estas opções saudáveis e assim ficas mais descansada com o que dás à tua filha.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  3. Eu quando era bebé praticamente era alimentada a sopa pois nunca aceitei nenhum tipo de papas, já hoje adoro papas de bebé! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  4. Deve fazer as delicias dos mais pequenos!

    De aprendiz a chef

    ResponderEliminar
  5. Tenho de experimentar. Com a alimentação que levo compro e como muitas vezes os boiões de papa por serem mais rápidos mas muito menos saudáveis.

    Beijnhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Que bom Ana, estas papas são deliciosas e muito mais saudáveis sem dúvida! A minha adora papas de millet :D
    Beijinho
    Joana

    ResponderEliminar
  7. Até eu adorava comer essa papinha!!! Nhamy!
    Beijinho

    Blogue Recanto com Tempero

    ResponderEliminar
  8. Olá ameei seu blog já estou seguindo para não perder nenhum post da uma passadinha no meu cantinho bjs

    http://cantaalegremente.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde. Imagino ser delicioso tão maravilhosa iguaria.
    .
    * Se te amar for pecado ... Então sou um Pecador *
    .
    Cumprimentos poéticos

    ResponderEliminar
  10. Apesar de não ter filhos, adoro estes posts/receitas super úteis :)
    Um beijinho,
    Cláudia

    ResponderEliminar